lom1

A lombalgia é caracterizada por diversas manifestações dolorosas que acometem a região lombar da coluna, causada por alterações na própria região, ou por alguma disfunção na distância entre as vértebras. A lombalgia é uma das grandes causas de incapacidades nas pessoas, responsável por afastamentos no serviço, diminuição ou até abstenção da pratica esportiva.

De acordo com alguns estudos epidemiológicos, cerca de 90% dos adultos poderão sofrer algum um episódio de lombalgia ao decorrer da vida. O tratamento é simples, tendo como principal fator a descoberta da causa, seja ela, laboral, traumática ou por disfunções músculo-esqueléticas.

Os sintomas se manifestam depois de algum tempo na mesma posição (durante os períodos de crise), que pode ser sentado, em pé ou até mesmo deitado. A queixa mais comum é a dor lombar, região da coluna próxima das nádegas. Pode-se apresentar de forma leve, aumentando gradativamente até prejudicar a mobilidade da região. As crises normalmente apresentam-se durante alguns dias, podendo manifestar em conjunto com algumas contraturas musculares, aumentando os sintomas ao passar do tempo, até mesmo permanecerem constantes. Em alguns casos, a dor pode desaparecer, mas retorna após algum tempo.

A OSTEOPATIA, através de recursos manuais, visa melhorar o grau de mobilidade músculo-articular, diminuir as tensões miofaciais, melhorar a mobilidade diminuindo a compressão no complexo disco vértebras e facetas, melhorando o espaço para os nervos e gânglios. Prevê também como tratamento o fortalecimento dos músculos mais profundos, os quais na região pélvica são denominados de CORE, através de exercícios terapêuticos específicos, enfatizando o controle intrassegmentar crânio sacral.

Dr. Felipe Alavarce