Esta terapia surgiu no início do século 20 através dos estudos de Willian G. Sutherland, e foi sistematizado e organizado através dos estudos de Jonh Upledger na década de 70. A base deste tratamento é o acompanhamento dos movimentos dos ossos do crânio e a liberação do sacro dural, uma membrana que recobre toda a coluna, ligando o crânio a base do Sacro.

COMO É FEITA A TERAPIA CRANIOSACRAL?

Através de uma avaliação minuciosa, o terapeuta verifica pontos de fixações onde será necessário o tratamento. Por meio de técnicas especificas, o terapeuta faz toques suaves com as mãos nas regiões a serem tratadas, estimulando o corpo do paciente para o início da cura. As técnicas irão auxiliar o corpo a diminuir ou extirpar os locais de fixações, que por sua vez estão aumento a pressão em todo sistema CRANIOSACRAL.

      São inúmeros benefícios desta terapia, sendo sua principal ferramenta a estimulação da autocorreção do corpo, onde através das técnicas a terapia CRANIOSACRAL, aumenta a capacidade do corpo de liberar-se das restrições avaliadas. A abordagem com toque leve pelo terapeuta induz as forças hidráulicas inerentes no sistema CRANIOSACRAL a melhorar o ambiente interno do corpo e a fortalecer sua própria habilidade de autocorreção.

INDICAÇÕES

  • Cefaleias
  • Fibromialgias
  • Enxaquecas
  • Disfunções teporo-mandibulares (DTM’s)
  • Hiperatividade cognitiva
  • Depressão endógena
  • Quadros álgicos na coluna
  • Refluxo Gastroesofágico